O PODER E O SEGREDO DO AMÉM

A palavra amém é, sem dúvida alguma, a palavra mais popular e mais recitada  da história humana.

É interessante observar que o poder, a antiguidade e a universalidade da Kabbalah está provada, acima de qualquer dúvida, através de um segredo há muito tempo guardado, que diz respeito a esta antiga palavra. Como é que amém prova a antiguidade da Kabbalah? Explicarei a seguir.

O Zohar nos diz que aqueles que pronunciam a palavra amém depois de uma oração são muito mais importantes do que aqueles que recitam as orações. Citando o Zohar:

“Aquele que responde Amém é maior e mais valioso do que quem faz as orações.”

ZOHAR VOL. 22 7:36

Por quê?

Por que uma única palavra e sua enunciação podem ser muito mais importantes do que quem recita páginas e páginas de orações?

Descobriremos a resposta em breve.

O Zohar também diz que aqueles que dizem amém e entendem seu significado verdadeiro serão abençoados, salvos, protegidos dos inimigos que os perseguem para destruí-los. As pessoas que conhecem e utilizam o poder do Amém recebem Luz e bênçãos neste mundo e no paraíso futuro.

Uau.

Por quê esta palavra é tão poderosa?

Descobriremos a resposta em breve.

O Zohar diz que aqueles que falham em entender e dizer Amém fazem com que as portas e portões do céu se fechem violentamente, de tal forma que aquelas bênçãos não podem cair sobre eles. O resultado é escuridão. Olhem a sua volta.

Citando o Zohar:

“…Quem quer que tenha ouvido uma bendição feita por alguém, mas que não meditou em seu coração no Amém… fecha os portões… não há bênçãos que se abram para ele… ai dele, ai da sua alma.”
— ZOHAR VOL. 22 76:36

Como pode uma única palavra selar os portões do céu e impedir que a Luz e a energia irradiada pelo Criador entre dentro de nossas vidas?

Descobriremos a resposta em breve.

A UNIVERSALIDADE DO AMÉM

Amém é universal.

Cristãos, Mulçumanos, Israelitas, todos têm usado esta palavra nas orações e nas meditações há milênios.

O uso mais remoto da palavra amém está no Antigo Testamento, a Torah. Por exemplo, no livro Números, verso 22, diz: “e a mulher deve dizer: “Amém, amém.”

O Cristianismo adotou esta palavra há 2,000 anos atrás, dizendo-a ao final de orações e hinos. Hoje os Cristãos, no mundo todo, gritam Amém com frequência.

O Islã também faz uso desta palavra ao terminar suas súplicas, conhecidas como dua.

De acordo com o site Wikipedia: os Mulçumanos usam a palavra Āmīn (em Árabe: آمين‎)  ) ao concluírem uma oração, especialmente depois de recitar a primeira surah (Al Fatiha) do Qurán, com o mesmo significado dado pelo Judaísmo e pelo Cristianismo. Além disso, no Islã, os Mulçumanos dizem “Āmīn” depois de desejar algo bom, fazem a afirmação. Por exemplo: Eu desejo que todas os povos deste mundo possam se unir e viver em paz, Amiin ya Allah, o que é o mesmo que dizer Amém para isso, no Cristianismo.

Só que ninguém sabe o quê amém realmente significa num nível mais profundo ou qual é o seu propósito e função verdadeiros numa oração, incluindo pessoas leigas e mesmo as autoridades religiosas das religiões do mundo inteiro.

Pense nisso.

Ninguém sabe o segredo oculto da palavra amém, no entanto, o mundo tem usado esta palavra por séculos.

Será que é porque o significado literal e verdadeiro desta palavra é por si mesmo magnético e persuasivo?

Dificilmente.

O SENTIDO LITERAL DE AMÉM

Confira no Wikipedia ou em outra fonte, e você irá encontrar uma definição básica para amém. Que pode querer dizer verdadeiro ou verdadeiramente. Ou algumas vezes, a definição é: Assim seja.

Agora, faça a si mesmo uma pergunta: Esta definição literal da palavra é a razão pela qual amém é tão poderoso, predominante e universal? Será que a expressão Assim seja é tão impressionante, inspiradora, tocante e significativa, para conseguir entrar para o vernáculo das grandes religiões do mundo por milhares de anos, até os dias de hoje? 

É por causa disso que ela é tão popular e poderosa e possui tal poder de permanência, que nunca abandonou a consciência da espécie humana por três mil anos?

Pense nisso.

Amém é tão difundido e onipresente em nosso mundo, quanto o ar que respiramos. Nunca deixou de estar na língua da humanidade. Provavelmente é a palavra mais falada da história humana. É tão onipresente, que a tomamos por certa e nunca fazemos perguntas a seu respeito. Perguntas como estas:

O que ela realmente quer dizer?

Qual é o seu propósito?

Qual é a sua função?

Que atração ela exerce sobre nós?

O que, em nossa mente subconsciente, tem atraído esta palavra para os nossos lábios, séculos após séculos?

Alguns alegam que esta palavra se originou do Deus Egípcio Amen-Ra. Mas não há nenhuma explicação para o porquê ou para como isto se deu, nem desvenda nenhum propósito profundo por trás de seu papel e função. 

Além disto, o primeiro uso preciso desta palavra amém em orações, como foi mencionado acima, realmente está na Torah.

EXISTE UMA RESPOSTA

Existem respostas para cada uma das perguntas levantadas neste artigo. Elas se encontram na sabedoria do Zohar. Somente o Zohar explica o propósito e o significado do amém e, ao fazer isto, prova que amém é um puro e autêntico termo Kabbalístico do Zohar; uma tecnologia que sustenta e fortalece todas as crenças do mundo.

Amém não faz nenhum sentido a não ser através da explicação do Zohar. O que prova que a Kabbalah é mais antiga do que a própria Torah, assim como todos os Kabalistas já entenderam, desde que Abrahão escreveu um dos primeiros livros da Kabbalah, muitos séculos antes da Torah ser revelada a Moisés.

Vamos agora elucidar um segredo há muito tempo guardado sobre o amém, e assim sendo, poderemos aprender como elevar e enriquecer nossas vidas, através da oração e da meditação, muito além do que podemos imaginar.

DESCONSTRUINDO A REALIDADE

Você não pode entender a tecnologia oculta na palavra amém, sem compreender alguns poucos conceitos simples do Zohar. Portanto, primeiro, permita-me compartilhar alguns insights da Kabbalah, antes de decodificar esta palavra e revelar o verdadeiro propósito do amém.

2,000 anos antes da ciência moderna atual e da teoria das Supercordas, o Zohar disse que a realidade verdadeira existe em Dez Dimensões. Estas dimensões são partidas da seguinte forma:

Existem nove dimensões que estão escondidas de nós, que chamamos de realidade dos 99%. É chamada de 99%, porque 99% da realidade verdadeira está escondida lá. Este campo dos 99% é a fonte atual de todas as bênçãos, sabedoria, prazer, boa fortuna e a própria vida. É o campo de pura energia celestial. É onde nós encontramos a verdade Divina e os milagres.

A décima dimensão é o nosso mundo da escuridão e do caos e da dor e da morte. Existe Luz no nosso mundo na forma de progresso, felicidade, avanços tecnológicos, paz e prosperidade somente quando o nosso mundo está conectado à fonte, esta realidade oculta dos 99%.

Se nós desligarmos uma lâmpada da sua fonte de energia – a tomada da parede – a lâmpada de repente apaga. A vida funciona da mesma forma. Devemos ligar nós mesmos e este mundo, à realidade dos 99%, a fim de conectar com a Luz espiritual, a Energia etérea que dá vida ao nosso universo e a tudo que há nele, incluindo cada átomo que existe.

Imagine cabos de eletricidade que circulam dentro de um prédio. Todas as instalações elétricas, todas as correntes elétricas, todos os geradores estão no lugar, prontos para operar. O único meio de experimentar e manifestar aquela força é ligando um interruptor.

Se o interruptor continuar na posição “off ”, não haverá luz, nem aquecimento, nem ar condicionado, nem TV, nada naquele prédio.

Este é o papel e a função do amém.

Todas as orações que nós fazemos são simplesmente os cabos e as instalações elétricas através dos quais nós recebemos a corrente de Luz, para dentro desta realidade física. Amém é o botão on-off, que nós temos que apertar para que a Luz brilhe em nossas vidas.

Como que nós sabemos disto?

Qual é a prova?

Onde está a evidência, o projeto e a engenharia por trás deste mundo, que descreva esta função?

DESCONSTRUINO O NOME DE DEUS

Deus não tem um nome literal. Nome é um código de uma fórmula ou uma característica e um atributo particular que Deus emana.
Em outras palavras, cada Nome de Deus é um código e um símbolo e uma tecnologia que traz uma fluxo de corrente de energia para dentro da nossa realidade física. Diferentes Nomes de Deus servem a diferentes funções, da mesma forma que diferentes formas de aparelhos utilizam a eletricidade de formas diferentes. Fornos geram calor. Refrigeradores geram frio. Resultados opostos para uma mesma fonte de energia. Portanto, diferentes Nomes de Deus trazem diferentes forças de energia para nosso mundo, algumas vezes opostas em seus propósitos. Algumas vezes, precisamos despertar a misericórdia. Algumas vezes, precisamos incitar julgamento. Algumas vezes, precisamos de cura. Algumas vezes, de prosperidade.

De acordo com o Zohar (Volume chamado Pinchas), O Nome de Deus que se refere à realidade inteira dos 99% é chamado de Tetragrama. É o nosso cabo e o canal para o reino dos 99%, em que reside um fluxo infinito e interminável da corrente espiritual.  É composto de quatro letras e é lido da direita para a esquerda.

Esta letras Hebraicas são chamadas de Yud, Hei, Vav e Hei e são escritas da direita para a esquerda (veja o diagrama abaixo):

Nós nunca pronunciamos este sagrado Nome de Deus. Nós só o escaneamos com nossos olhos, cada vez que encontramos este Nome durante uma oração de conexão. A razão para isto é simples: este Nome se encontra acima de nossa realidade física. Encontra-se no campo de consciência e de energia puras. 

Por exemplo, no nosso mundo físico, nós não conhecemos o pensamento de uma outra pessoa, a menos que a pessoa expresse seu pensamento através da fala.  Pela boca. A boca é, portanto, associada com o nosso mundo físico. Por esta razão, considera-se que a fala está num nível mais baixo que a mente, o pensamento e a consciência. E estes aumentam a nossa conexão com a consciência e com o Divino.E para melhorar nossa conexão com o reino dos 99% e do Pensamento Divino, a realidade dos 99%, só fazemos uma conexão visual com este particular Nome de Deus.

Agora, preste bem atenção a esta próxima ideia. 

Existe um outro Nome de Deus, chamado Adonai, que representa a nossa realidade física, ou o campo do 1%. Lembre-se, este é o campo da fala.

Por milhares de anos, os Judeus (Israelitas), foram ensinados a dizer o Nome de Deus Adonai quando fossem ler um outro Nome de Deus como o Tetragrama. Por quê? Ninguém sabia e se sentiam sem jeito para fazer a pergunta. Por milhares de anos e até os dias de hoje, praticamente todos os Israelitas e Rabinos (a menos que ele fosse um Kabbalista) não tinham nenhuma pista de porquê fazíamos isto. Embora a resposta estivesse no Zohar há dois mil anos.

Novamente, por que nós olhamos e lemos um determinado Nome de Deus num livro de oração, mas falamos em voz alta um Nome de Deus completamente diferente? A resposta usualmente dada era que o Nome de Deus conhecido como Tetragrama é simplesmente muito Santo e Sagrado para ser pronunciado. 

Isto é parcialmente verdadeiro e é somente uma interpretação literal.

O fato é que isso é na verdade baseado em alta tecnologia. Simples assim.

Os olhos correspondem ao reino dos 99%. Então, quando nós olhamos para o Nome de Deus chamado Tetragrama, nós estamos reino nosso corpo e nossa alma ao campo dos 99%. Nós estamos nos ligando, por assim dizer. Isto não é diferente de ligar uma lâmpada no interruptor da parede para conectar a uma desconhecida corrente elétrica invisível.

A boca humana corresponde ao campo da fala, nosso mundo físico chamado do 1%, em que nossa consciência, mente e pensamentos se manifestam através do poder de nossa fala e palavras. Letras e palavras são o vestuário, as roupas que nossos pensamentos vestem, para que nossas ondas cerebrais e pensamentos invisíveis possam ser expressos e transmitidos aos outros seres humanos.

Agora, acompanhem bem de perto: quando nossos olhos veem o Tetragrama, nós ficamos ligados na corrente de energia dos 99%. Quando nossas bocas falam, nós estamos trazendo aquela corrente de energia para dentro do mundo físico, por expressá-la através da fala. Portanto, nós dizemos o Nome de Deus Adonai para atrair esta corrente para dentro da nossa dimensão física, porque este Nome de Deus ímpar representa e engloba o  mundo físico.

Bem simples, certo?

Ao usar nossos olhos e boca e os dois Nomes de Deus, nós unimos os dois reinos.

Então, imagine o Nome de Deus conhecido como Tetragrama, como sendo a estação de Energia Nuclear geradora de eletricidade. Agora, imagine o Nome de Deus conhecido como Adonai, como sendo os cabos que vão da estação de Energia até nossas casas.

Entendeu? Muito bem. Portanto, agora nós temos uma conexão completa com a fonte de energia estável e trouxemos com sucesso este poder e esta energia para dentro de nossa casa pessoal.

Mas continua sem luz em nossa casa. Continua sem potência operadora. Por quê?

É aqui que entra o amém.

O Amém é o on-off  do interruptor da parede. Amém é o interruptor da energia do sistema de aquecimento. Amém é o controle remoto que liga a sua TV e controla o interruptor do seu ar condicionado, permitindo que você acesse todos estes diversos poderes de forma prática, gerando calor ou frio, ou entretenimento.

Amém é o interruptor de energia e o botão on-off da vida.

É por isso que o Zohar diz que, aqueles que dizem a palavra amém são maiores do que os que falam e declamam as orações. Uau. Profundo. Amém é até mesmo mais importante do que todas as orações.

Afinal, quão bom é todas as orações (eletricidade) se não temos nenhum aparelho em nossa casa e interruptores de energia, para ligá-lo para enriquecer nossas vidas? As orações são inúteis (falando de forma prática) sem o amém para ligar o interruptor.

E esses segredos por trás da palavra amém são encontrados numa evidência simples, mas profunda.

NÚMEROS NÃO MENTEM

O antigo Zohar explica que o Nome de Deus,Tetragrama, tem um valor numérico de 26. Portanto, o número 26 representa a realidade espiritual dos 99%.

O Nome de Deus conhecido como Adonai tem um valor numérico de 65. Portanto, o número 65 é um código para todo o nosso mundo físico. 

Certifiquem-se de que isto está implantado firmemente em suas mentes e que vocês entenderam isto claramente. Por precaução, vamos repetir de novo.

26 é o valor numérico do Nome de Deus que conecta aos 99%. A fonte de toda a Luz e bênçãos.

65 é o valor numérico do nosso mundo físico do caos. O mundo que precisa desesperadamente da Luz e das bênçãos que residem nos 99%. 

Todo o propósito da oração é de conectar e unir os 99% ao 1%. Veja bem, Deus não responde às nossas preces. Nós que respondemos às nossas preces, ao nos conectar com a realidade dos 99%, o reino da Energia Divina  e da Luz de Deus, onde residem todas as respostas às nossas preces. Deus é a fonte dos milagres e das bênçãos, mas não o fazedor de milagres e de bênçãos. Este trabalho foi dado para que nós façamos.

Deus nunca diz Não às nossas preces.

Nós dizemos Não, quando nós desconectamos a nós mesmos da fonte de toda a Energia Divina. Você não pode culpar a eletricidade por não iluminar o breu escuro da sua casa, se você se esqueceu de ligar sua lâmpada na tomada da parede ou se se esqueceu de ligar o interruptor.

É por causa disto que o Zohar diz: “quem quer que tenha ouvido a oração que alguém fez, mas que não meditou em seu coração o Amém… nenhuma bênção será aberta a ele… Ai dele, Ai da alma.”

Deus não está punindo esta pessoa. O indivíduo está simplesmente desligando a si mesmo da Luz.

Este segredo se encontra numa aritmética simples.

Se nós unirmos os 99% com o 1% – a fonte espiritual com a realidade física – nós temos o número 91.

Por quê?

Porque 26 (O reino espiritual) mais 65 ( o reino físico) totalizam 91.

Pronto!

Por falar nisto, o número 91 pode também ser somado, 9 + 1 (do 91), que é igual a 10. O que corresponde à unificação das 10 dimensões.

Assim sendo, agora que temos todas as dez dimensões alinhadas e conectadas e unidas em uma, ainda está faltando alguma coisa.

Agora, precisamos daquele simples interruptor para ligar à energia.

Dê enter no Amém.

Amém tem o valor numérico de 91!

Isso mesmo!  As letras Hebraicas que formam a antiga palavra Amém, somadas, dão 91.

Isso foi projetado intencionalmente desta forma pelos Kabbalistas, quando a língua Hebraíca passou a existir neste mundo no início da civilização!

Quando nós dizemos Amém (a fala e a boca representam nosso mundo físico), nós unimos duas realidades e ligamos o interruptor. É POR ISSO que nós dizemos Amém e porque Amém = 91.

Aqui está uma analogia simples para nos ajudar a entender. As orações que nós fazemos são os cabos e as fiações elétricas que nos conectam com as dez dimensões e a realidade dos 99%. Mas nós precisamos ligar o interruptor depois que nós construímos nossa rede de cabos. Esta rede são todas as orações dadas a nós pelos Kabalistas. E são as orações feitas pelas pessoas de todas as religiões.

No entanto, se nós não sabemos o que está acontecendo, se nós dizemos amém cegamente, sem nenhum entendimento sobre a rede do fluxo da energia divina nestas dimensões, e procurando unir e conectar todas as coisas, é como se sentar num quarto escuro e não apertar o interruptor da lâmpada. Podemos rezar dia e noite para a luz acender. Mas isto não vai acontecer. Nós precisamos ligar aquele interruptor.

Amém não é alguma palavra aleatória ou um termo que significa que assim seja. É o antigo interruptor que permite que assim seja possa acontecer.

Todos os Nomes de Deus foram desenhados com muita intenção e propósito por trás deles, tal qual nós acabamos de ver. Todos eles são baseados nas Dez Sefirot da Kabbalah, as dez dimensões estruturais do nosso universo, também conhecidas como a Árvore da Vida. 

O que prova que a tecnologia revelada pelo Zohar está por trás da palavra amém e, assim sendo, está por trás de todas as orações das grandes religiões. A tecnologia do Zohar tem o poder de ajudar os Israelitas, os Cristãos e os Mulçumanos, a fazerem jorrar autênticas orações de Luz e bênçãos para este mundo.

E nós não precisaremos nos preocupar com os Judeus negativos, Cristãos perversos ou Mulçumanos militantes radicais. Suas orações não conectam aos 99% e, portanto, nenhuma Luz é dada a eles por suas ações. Ao contrário, todas as suas ações trazem à tona escuridão. As únicas orações que são atendidas são aquelas que trazem jorros de Luz para o mundo inteiro. Especialmente quando rezamos para outras pessoas.

Assim sendo, depende de nós e da Kabbalah trazer jorros de Luz para o mundo, quando entendemos a tecnologia Kabbalística como sendo o conhecimento que fundamenta o Amém.

É desta forma que geramos Luz para banir a escuridão!

Existe escuridão em nosso mundo porque nós falhamos em ligar o interruptor da Luz. Não porque Deus disse “não” ou porque não exista a fonte Divina de Luz. Mas porque ainda não entendemos como usar o Amém e os Nomes de Deus para trazer Luz permanente.

Em breve, postarei outro artigo com este tema do Amém. Este próximo artigo irá revelar mais à fundo segredos surpreendentes sobre o Amém, revelados pelo Kabbalista Rav Berg. Estes segredos são nada menos do que capazes de transformar o mundo e são épicos em sua Força bruta.

Armados com estes insights adicionais de Rav Berg a respeito do Amém, poderemos banir literalmente toda a escuridão e influências negativas deste mundo.

Para sempre.

Agora, este vídeo abaixo revela a meditação secreta que ativa e libera todo o poder bruto da palavra amém. É uma combinação dos dois nomes de Deus. Meditar sobre esta sequência, enquanto se pronuncia o amém, remove todo o espaço de nossas vidas e, portanto, todo o caos e todas as influências da força negativa escura da consciência conhecida pelo codinome “Satan”.

Clique abaixo para descobrir a meditação secreta:

Webinar Gratuito com Billy Phillips

Em um webinar gratuito, Billy compartilha algumas ideias e insights poderosos sobre o motivo pelo qual os ensinamentos secretos de Jesus estão surgindo neste momento da história. Billy também compartilha a resposta revelada pelos Kabalistas, incluindo uma seção censurada do Zohar que foi deletada na Idade Média.

Não enviamos nenhum SPAM. Você pode se desinscrever a qualquer momento. Powered by ConvertKit

Billy Phillips

Billy Phillips é aluno do Rav e da Karen Berg desde 1989. As opiniões expressadas aqui têm como base seu próprio aprendizado e 22 anos estudando a sabedoria da Kabbalah. Apesar de ser aluno do Kabbalah Centre, as visões e artigos que apresenta aqui se relacionam com sua experiência e refletem sua visão pessoal e não são uma representação oficial do Kabbalah Centre e de seus ensinamentos.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*