REFLEXÕES SOBRE SAN DIEGO: PALESTRA DA KAREN

image

Algumas pessoas se sentiram desconfortáveis. Eu conseguia sentir, sentado na sala. E tinham outras pessoas que estavam realmente animadas.

Karen, seguindo os ensinamentos e a visão de Rav Ashlag, explicou que era hora de dar um passo quântico na união dos vários caminhos espirituais através daquilo que eles têm em comum e focando naquilo que aparentemente nos separa.

Foi uma mensagem sobre a necessidade vital por respeito mútuo, dignidade e amor incondicional em direção ao próximo, incluindo o método particular que cada um tem para se conectar com a Fonte de verdade suprema.

E colocando as palavras em prática, Karen convidou Michael Beckwith da Agape para compartilhar uma mensagem de unidade e propósito, assim como ele compartilha com os membros devotos da sua comunidade espiritual.

Por fora, a palestra de Karen parecia uma ação e um gesto espiritual legal e simples. Mas na verdade, ela sacudiu os alicerces de dois mil anos de dogmas e derramamento de sangue.

Rav Ashlag diz que existe uma frase famosa nas escrituras que fala sobre o toque das trombetas antes do Messias chegar. O Shofar deve ser soprado quando a Redenção Final acontecer e todos do mundo ouvirão.

Esqueça o significado literal. Nenhum homem na terra tem a capacidade pulmonar de soprar o shofar alto o suficiente para que o mundo todo ouça.

Será que vai ser transmitido pela CNN?

Provavelmente Rav Ashlag também ficaria consternado com essa resposta.

Então, o que significam as trombetas que vão trazer a paz na terra e o paraíso? E como isso se conecta com a palestra da Karen?

O ZOHAR REVELA UM GRANDE SEGREDO

Antes de responder a esta pergunta, o Zohar nos oferece um insight incrível. O Zohar fala claramente que os Israelitas são o coração de um corpo que é a humanidade e que as outras nações e religiões são os órgãos que fazem dele um único corpo.

Primeiramente, Israelita se refere a Jacó, cujo nome foi mudado para Israel depois que ele derrotou o anjo negativo – o que é uma metáfora para nosso próprio ego.

Jacó ganhou o nome Israel quando ele derrotou seu ego. Jacó também representa a força da coluna central, conhecida como livre arbítrio ou resistência.

Livre arbítrio?

Resistência?

Sim.

Nosso único livre arbítrio é a escolha de resistir aos impulsos do ego. Quando fazemos isso, encontramos nossa natureza verdadeira. Quando obedecemos o ego, somos como robôs insensatos escravizados pelos caprichos e reações gerados pela escuridão dentro de nós.

Resistir ao egoísmo, ao pensamento limitado, e às dúvidas, é o caminho para nos tornarmos Israelitas. Cada vez que resistimos ao ego e saímos da influência hipnótica que está sobre nós, estamos nos transformando. Cada ato de resistência, cada transformação, permite que a Luz e a energia incrível, que habita na realidade dos 99%, flua para o nosso mundo físico. Nos tornamos canal. Não tem mais ego bloqueando e entupindo as nossas artérias espirituais. Da mesma forma que o coração bombeia o sangue para nutrir o corpo e os outros órgãos, os Israelitas bombeiam a energia divina para o mundo, nutrindo as outras nações. É por isso que o Zohar diz que os Israelitas são o coração da humanidade.

A falta de sangue fluindo no corpo pode causar gangrena. Antissemitismo é uma gangrena espiritual.

A missão dos Israelitas de ser Luz Para Todas as Nações foi dada para nós no Monte Sinai. Moisés trouxe essa energia para o nosso mundo, e era tão brilhante que toda a escuridão, incluindo a morte, foi banida do mundo.

Os Kabalistas também nos contam que cada nação da terra participou desse estado de alegria infinita da existência. Todos eles vivenciaram a revelação no Monte Sinai em sua própria lingua.

Você entendeu isso?

O Criador não exige que as nações não Israelitas escutem as palavras de Deus em Hebraico, ou Aramaico. Qualquer língua que eles falem é a língua que foi usada para canalizar essa energia Divina e inimaginável na vida deles e no mundo.

Muito profundo. Muito revelador.

Então, se todos nós experimentamos felicidade e imortalidade no Sinai, o que aconteceu?

Preste Atenção: NÃO foi a construção do Bezerro de Ouro que fez com que Moisés quebrasse as duas tábuas que eram o canal da energia que Deus estava fluindo para o nosso planeta.

A verdadeira razão foi que algo mudou na consciência dos Israelitas. O Bezerro de Ouro era apenas um efeito. A queda trágica da consciência humana foi a causa.

O PERIGO DIABÓLICO DA DÚVIDA

Tudo que os Israelitas tinham que fazer para participar do fluir permanente da Luz e da Energia no mundo para todas as nações era ativar sua força de vontade e resistir às suas dúvidas em relação a Moisés e manter certeza na Luz que trouxe a imortalidade.

Certeza, não importasse o que.

A força negativa conhecida como o Adversário ou Oponente recebeu permissão para testar os Israelitas. Ele injetou uma visão real, vívida e tangível nas suas consciências igual à nossa realidade cotidiana.

Qual foi essa visão?

Todos os 600.000 Israelitas viram com seus próprios olhos que Moisés estava morto.

Se nós víssemos um amigo morto, diríamos: ‘Será que é só uma Ilusão? Devo ter certeza de que ele não está realmente morto?’

Eu acho que não.

Mas os Israelitas estavam em uma posição única. Eles testemunharam a abertura do Mar Vermelho. Eles vivenciaram os milagres das dez pragas. E, mais importante, eles vivenciaram o milagre da libertação da escravidão depois de 400 anos sendo escravos no Egito.

Tudo que eles tinham que fazer era lembrar dos milagres.

Bom, em um nível mais profundo, Egito é realmente o próprio Ego. Eles ganharam a liberdade do Ego e da dúvida, e só tinham que lembrar das maravilhas que foram realizadas através de Moisés.

Mas eles não fizeram isso. A consciência deles caiu. E este é o problema. Por quê?

Porque a nossa consciência cria a nossa realidade. Ponto. Ela não apenas influencia a realidade, ela a fabrica nos mínimos detalhes. Quando os Israelitas perderam a consciência deles sobre a imortalidade, eles perderam a imortalidade. Não apenas para eles, mas para o mundo.

E daquele dia em diante aconteceu o renascimento da morte, o nascimento do antissemitismo, junto com o nascimento da religião, e agora esperamos que alguma força externa, fora da nossa consciência, venha e traga a volta do Sinai e do paraíso. Este é o código do Bezerro de Ouro.

E quantas vezes julgamos alguém que trouxe tanta Luz, mudança e milagres para as nossas vidas? Nós esquecemos de tudo e duvidamos deles.

O SOM DA TROMBETA

Isso nos traz de volta para a nossa pergunta inicial: O que o sopro do Shofar tem a ver com mudar o mundo e trazer o paraíso? E o que isso tem a ver com a palestra da Karen?

Preste atenção: Rav Ashlag diz que nenhum ar físico soprado através de uma trombeta pode magicamente ou sobrenaturalmente trazer o Messias e um mundo onde a morte morre uma morte eterna.

Rav Ashlag fala claramente que são as palavras do Zohar e a sabedoria kabalística universal dita pelos Israelitas para o próximo que irão trazer o paraíso de volta. O ar que sai dos nossos pulmões formando palavras de sabedoria e direcionando ações de gentileza, ISSO é o sopro do Shofar. Nós perdemos a existência imortal para todo mundo. E agora precisamos compartilhar a sabedoria com o resto do mundo afim de restaurar aquilo que perdemos.

Rav Ashlag também fala claramente que todas as religiões e modalidades espirituais permanecerão no mundo do Messias e no paraíso. Da MESMA forma que o mundo ouviu e vivenciou a revelação original no Sinai na sua própria língua.

Kabbalah é apenas o sangue que nutre os órgãos do corpo. E é universal. Pertence a todas as pessoas. Kabbalah vai ser a força nutritiva para todas as religiões individuais e doutrinas espirituais. A demonstração última de respeito profundo, dignidade e unidade.

As células cardíacas não querem se tornar células do rim. As células do fígado não tem desejo ou necessidade de virar celulas cardíacas. Nós precisamos que cada célula e órgão desempenhem suas funções adequadamente e sirvam o seu propósito particular como um membro, um órgão, uma célula em si, unidos num corpo imortal da humanidade.

Esse é o nosso propósito e o nosso papel como Israelitas. Nós cumprimos esse papel de forma bem sucedida quando negamos as nossas dúvidas estúpidas, resistimos julgar aos outros e compartilhamos ao invés de receber.

Esta é a semente que foi plantada em San Diego.

Por 3.400 anos, morte e escuridão atingiram um estado de existência imortal. A morte nunca morreu. Escuridão nunca desapareceu. E todos as nações não israelitas sofreram como consequência, e eles nos odiaram por isso.

Existiu alguém que viveu 2.000 anos atrás e que tentou reparar a situação. Ele era um Kabalista e veio trazer a alma da Torá e a sabedoria do Zohar para todas as nações do mundo.

Mas as pessoas duvidaram dele e isso levou à sua morte.  Mas isso é outra conversa cheia de pegadinhas e que alimenta mais dúvidas.

A notícia animadora é que depois de 3.400 anos de morte e escuridão, finalmente alguém foi adiante para carregar a tocha que o Zohar e o Rav Ashlag acenderam!

O nome dela é Karen.

E nosso nome vai mudar, da mesma forma que o nome de Jacó foi mudado, se resistirmos às nossas reações egoístas, às dúvidas e seguirmos a chama dela.

Nós iremos nos tornar verdadeiros Israelitas, o coração da humanidade, trabalhando em harmonia e com um respeito profundo pela dignidade e bem-estar de toda a humanidade.

Billy Phillips

Billy Phillips é aluno do Rav e da Karen Berg desde 1989. As opiniões expressadas aqui têm como base seu próprio aprendizado e 22 anos estudando a sabedoria da Kabbalah. Apesar de ser aluno do Kabbalah Centre, as visões e artigos que apresenta aqui se relacionam com sua experiência e refletem sua visão pessoal e não são uma representação oficial do Kabbalah Centre e de seus ensinamentos.

VOCÊ TAMBÉM IRÁ GOSTAR DESSES POSTS:

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Imagem CAPTCHA

*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>