REFLEXÕES SOBRE A SÍRIA E OBAMA

É raro eu compartilhar comentários sobre política. No entanto, acredito que devemos olhar para o mundo da política e para o governo por um momento para entender por que tantos partidários de Obama estão de coração partido e decepcionados com sua política sobre a Síria, baía de Guantánamo, mísseis teleguiados e uma série de outras questões que parecem espelhar seu antecessor George W. Bush.

Há poucos dias, recebi uma pergunta de um cavalheiro em Israel perguntando se eu sabia o que o kabalista Rav Berg teria a dizer sobre a posição dos EUA sobre a Síria. Ofereci a este senhor uma resposta simples que basicamente é esta:

“A posição do Rav é sempre de paz, dignidade humana e Luz. A Kabbalah e o Rav não lidam com o problema físico da realidade do 1%. Guerras e conflitos só adicionam escuridão à escuridão. Devemos trazer Luz à escuridão. Então os kabalistas trabalham no nível espiritual e no reino da consciência usando armas de Luz, amor, dignidade, enquanto o resto da humanidade trabalha no nível físico. A maioria dos alunos do Kabbalah Centre já sabe disso. Lembro-me uma vez que o Rav me contou uma história de como um jornalista israelense perguntou-lhe certa vez o que iria acontecer e como Israel veria se o Rav fosse eleito Primeiro Ministro de Israel. A resposta do Rav foi simples mas profunda. O Rav disse: “O dia em que Israel e os israelenses estiverem prontos e preparados para eleger alguém como eu para o cargo de primeiro ministro, Israel não terá mais necessidade de um primeiro ministro.”

Então por que é que Obama e outros líderes políticos, aparentemente positivos, quebram constantemente promessas de campanha, alteram suas agendas políticas e mudam seu posicionamento uma vez no poder?

O Zohar explica que a força negativa a qual chamamos de “adversário” tem o controle total sobre o sistema político e religioso. Essa é a maneira como o mundo foi criado. Portanto não importa o quão moral, elevada e honrada seja a ideologia política de um candidato, uma vez no poder, ele ou ela cairão sob o domínio absoluto de um campo diferente de consciência, uma consciência que encarna o adversário – a força negativa, escura e de auto-interesse – cuja agenda é o conflito e as trevas.

E funciona assim:

De acordo com o Rav Ashlag e o Zohar, o mundo reflete o ser humano, especificamente o israelita (quem ou o que é um israelita está além do escopo deste artigo). Tal homem é composto de duas forças de consciência – o corpo e a alma. Ao corpo (ego) é dado completo domínio e controle sobre a nossa alma quando entramos neste mundo. Nossa tarefa nessa vida é usar as ferramentas da Kabbalah para transformar a consciência do corpo de extremo auto-interesse implacável para uma consciência que encarne a vontade da alma, que é de dignidade humana, e a bondade incondicional, que é a que os antigos kabalistas, Rabbi Akiva e Jesus se referem como “Ame seu próximo como a si mesmo”.

O mundo espelha essa relação. Todas as nações do mundo são o corpo e seus vários órgãos. Os israelitas são a alma da humanidade.

Quando os israelitas individualmente permitem que o auto interesse e que a consciência do corpo dominem sua alma, o mundo reflete essa relação e outras nações dominarão os israelitas. Esta consciência fará aflorar o pior em outras nações, fazendo com que sua consciência material domine suas almas e assim uma força escura da consciência estará em cargos governamentais e no poder religioso.

Quando os israelitas se transformarem e colocarem as necessidades de seus próximos à frente de suas próprias, quando eles usarem seu talento, ambição e energia para trazer Luz e bênçãos para outras nações, eles alcançarão a harmonia entre alma e corpo. Em termos kabalísticos, o desejo de receber somente para si mesmo foi transformado no desejo de receber para compartilhar. Perfeita harmonia. Em outras palavras, não estamos aqui para destruir nosso ego mas sim para domá-lo, anulá-lo e em seguida, transformá-lo para que sirva a alma de toda a humanidade ao invés de servir a si próprio.

Quando essa profunda mudança de consciência acontecer, a nação israelita de repente alcançará harmonia com as outras nações do mundo. Faremos surgir o melhor de todos os povos.

Assim, da mesma forma que é dado ao nosso corpo o domínio sobre nossa alma para nos dar a possibilidade de transformar, é dada às instituições políticas de todas as nações o poder de governar os israelitas e também de governar todas as pessoas boas em todas as nações do mundo. De maneira simples, ego e interesse próprio extremo estão na ordem do dia e é isto que causa todos os conflitos, desconfiança e guerras entre nações.

O único modo de mudar o curso da história da humanidade é parar de esperar que algum salvador político mude o mundo. Isso não vai acontecer. Via de regra, quando um indivíduo está no poder, ele tem que se submeter à vontade do Oponente.

Debater sobre partidos políticos, discutir os méritos de um candidato ou de outro, é simplesmente sucumbir às manipulações do Oponente. Ele gosta de jogar os dois lados contra o meio para que nunca gastemos um minuto de nossas vidas focando no inimigo real – o adversário interno!

Precisamos alcançar uma massa crítica de pessoas que tenham “estômago”, coragem, sabedoria e determinação para travar esta batalha e transformar. Assim os governos do mundo se transformarão como efeito dessa transformação essencial.

Quando alguém está sangrando, precisamos responder prontamente a isso e cuidar do indivíduo. Portanto, também precisamos cuidar da realidade do 1%. No entanto, temos também de ter pessoas que respondam prontamente à escuridão na realidade dos 99%. Precisamos lutar e ajudar em ambos os níveis.

obama

O verdadeiro israelita é aquele que aceita o caminho kabalístico da Torá como uma arma poderosa de alta tecnologia para travar sua batalha espiritual.

A maioria das pessoas não foi destinada a travar esta luta e portanto, elas iriam achar este caminho totalmente irreal como solução para as aflições do nosso mundo. Isso acontece porque o trabalho dessas pessoas é melhorar o mundo e ajudá-lo no nível do 1%.

No entanto, para aqueles de nós cujo destino é abraçar a verdadeira sabedoria da Kabbalah e lutar contra o verdadeiro oponente, esta sabedoria e estratégia toca um nervo profundo dentro de nós em ressonância com nossa alma.

Do ponto de vista kabalístico, Obama, Bush, Putin e Assad não são o problema.

EU sou o problema.

Na Kabbalah, sabemos que o ego, juntamente com as palavras EU e MIM, deve ser ignorado a qualquer custo. Em outras palavras, não devemos permitir que a nossa vida gire em torno do “EU”.

No entanto, há uma única vez quando devemos usar as palavras “EU” e “MIM”. É quando estamos à procura de responsabilizar e achar o verdadeiro culpado pela escuridão do mundo.

Billy Phillips

Billy Phillips é aluno do Rav e da Karen Berg desde 1989. As opiniões expressadas aqui têm como base seu próprio aprendizado e 22 anos estudando a sabedoria da Kabbalah. Apesar de ser aluno do Kabbalah Centre, as visões e artigos que apresenta aqui se relacionam com sua experiência e refletem sua visão pessoal e não são uma representação oficial do Kabbalah Centre e de seus ensinamentos.

VOCÊ TAMBÉM IRÁ GOSTAR DESSES POSTS:

1 Response

  1. Adriana Stürmer diz:

    Perfeito

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Imagem CAPTCHA

*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>