O verdadeiro papel de Israel no Mundo

Cada nação na Terra tem um pedaço do quebra-cabeça da “verdade” mas nenhuma sozinha detém a verdade suprema. A única verdade suprema é a humanidade.

Qual o papel, qual é o pedaço do quebra-cabeça que a nação chamada Israel representa?

Considere esta porção convincente do Zohar:

“O Sagrado, abençoado seja Ele, fez de Israel o coração do mundo inteiro, e a relação de Israel com as outras nações é como a do coração para com as outras partes do corpo. E assim como as outras partes do corpo não existem, mesmo que por um momento, sem o coração, da mesma forma acontece com os outros povos que não podem existir sem Israel. Jerusalém também tem a mesma relação com os outros países, sendo como o coração para as partes do corpo, por isso que está no centro de todo o mundo, assim como o coração está no centro dos membros. ”

Da mesma forma que o coração bombeia o sangue para os outros órgãos, a função de Israel é “bombear” o sangue espiritual (que são as verdades e a Luz do Zohar) para todas as nações do mundo, para nutri-las e torná-las fortes, felizes e realizadas. É por isto que Jesus veio ao mundo de acordo com os kabalistas. O papel de Jesus era trazer a sabedoria da Kabbalah para o resto do mundo pagão. Ele ensinou aos seus discípulos mais próximos o que hoje conhecemos como “Kabbalah 101″ ou o livro “O Poder da Kabbalah” e as “Dez Emanações Luminosas” que aprendemos na Kabbalah Centre.

Mas para as massas, Jesus falou em parábolas para tornar isso mais simples para eles. Mas é tudo Kabbalah. Tudo. Cada palavra. Jesus veio para trazer os pagãos (ainda não havia cristãos) de volta para a verdade, para conectá-los ao fluxo de sangue espiritual que é a Luz que pulsa da sabedoria da Kabbalah através da Torá. Rabi Shimon, que está imbuído com a centelha da alma de Moisés, executa a mesma função para os israelitas. De acordo com os kabalistas e o Zohar, Rabi Shimon veio para completar o trabalho que Moisés começou no Monte Sinai, que é a revelação da alma da Torá – o Zohar e a Luz da imortalidade, também conhecida como Messias. E o profeta Maomé veio trazer estas verdades espirituais universais para o mundo árabe. É por isso que o Zohar falou de Deus/Allah e porque o Alcorão fala do Livro de Abraão, que é o Zohar e o livro Sefer Yetzirah (Livro da Formação), o primeiro texto kabalístico, de autoria de Abraão, o Patriarca.

A aplicação prática

Em um nível prático, Israel nutre as nações islâmicas e cristãs cada vez que um israelita diminui seu interesse próprio e transforma o seu ego a partir de uma consciência de tomar para uma consciência de dar. O coração apenas pega o sangue para o circulá-lo e para nutrir os outros órgãos. O papel dos israelitas é pegar a Luz do Criador e compartilhá-la, incondicionalmente, com os nossos irmãos Cristãos e Muçulmanos. Mas é o ego, o desejo interno egoísta e ambicioso, que queima dentro de nós, que tenta convencer-nos a receber somente para nós mesmos.

O Zohar e o Rav Yehuda Ashlag, fundador do Kabbalah Centre, são claros: Quando os judeus permitem que seu ego reine sobre a sua alma (o israelita que há dentro dele), então as nações cristãs e muçulmanas irão se esforçar violentamente para governar os israelitas. Quando os judeus permitem que a sua alma reine sobre o seu ego, tornando-se assim um verdadeiro israelita, as nações cristãs e muçulmanas vão estimar os israelitas, o povo do livro. Nesse ponto, o corpo coletivo da humanidade estará em perfeita harmonia.

Adivinha o que acontece a seguir?

É dessa forma e nesse momento que alcançamos a imortalidade. Caso você não saiba, o átomo é imortal. Os átomos nunca morrem. Os mesmos átomos que foram criados 15 bilhões de anos atrás no Big Bang são os mesmos átomos que formam eu e você e este mundo. Portanto, se nossos átomos são imortais, por que nós não somos imortais? Uma razão: Porque nossos átomos param de se ligar quando o espaço aparece entre eles. Assim o nosso corpo desaparece e morre, embora os átomos individuais que criam-nos vivem para sempre.

Quer conhecer um antigo segredo kabalista?

Quando não houver mais espaço entre os Israelitas, Cristãos e Muçulmanos, não haverá mais espaço entre os nossos átomos imortais e, portanto, a existência imortal se tornará a nova realidade. Isso é o que chamamos de Messias.

Isso é extremamente profundo, ainda que simples, e requer outra leitura várias vezes até que se enraíze na nossa consciência.

Todo o propósito do Zohar é ajudar o israelita a diminuir o seu ego e redirecionar nossos talentos, nossos desejos e nossas motivações com o objetivo de servir aos outros. É assim que removemos o espaço entre nós. Todo o propósito do Zohar é também irradiar Luz e energia para nossos irmãos Cristãos e Muçulmanos. É assim que removemos o espaço entre nós.

Quão tolos nós todos temos sido estes últimos 2000 anos, lutando entre nós e morrendo por causa disso. Temos sido enganados ao entrar em guerra uns contra os outros ao invés de fazer guerra contra o nosso ego e os impulsos egoístas. Todo este tempo a existência imortal tem esperado por nós naquele momento único em que nos unirmos com nossos semelhantes.

E não teremos que nos preocupar em sermos felizes ou conseguirmos o que queremos, quando toda a humanidade se unir como uma só. Porque a Luz é infinita. Isso significa que há uma infinita gama e diversidade de prazer junto com uma infinita fonte de felicidade para preencher a todos. Ninguém tem que mudar os seus desejos pessoais. Cada cultura, o gosto pessoal de cada indivíduo será atendido acima de qualquer expectativa. O único momento em que há uma oferta limitada de felicidade, de recursos e da própria vida, é quando há espaço e  conflitos entre as pessoas.

Talvez por isso que o kabalista Rav Berg e o Zohar se referem ao Satan, o nosso adversário e ego, como espaço. O espaço que existe entre as pessoas e então entre nossos átomos é a causa de toda a dor, sofrimento e morte.

Somente o Zohar remove o espaço da paisagem da natureza humana e de todo o planeta.

Parece que todos os caminhos levam de volta – não a Roma – mas aos ensinamentos sagrados e à energia do Zohar.

Billy Phillips

Billy Phillips é aluno do Rav e da Karen Berg desde 1989. As opiniões expressadas aqui têm como base seu próprio aprendizado e 22 anos estudando a sabedoria da Kabbalah. Apesar de ser aluno do Kabbalah Centre, as visões e artigos que apresenta aqui se relacionam com sua experiência e refletem sua visão pessoal e não são uma representação oficial do Kabbalah Centre e de seus ensinamentos.

VOCÊ TAMBÉM IRÁ GOSTAR DESSES POSTS:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Imagem CAPTCHA

*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>