O verdadeiro perigo

Certamente o mais perigoso estado de consciência no mundo é a ideia de estar “certo” – especialmente quando estamos certo em uma determinada situação. Por que é tão perigoso? Porque quando estamos verdadeiramente certos em um argumento, nos damos o direito de justificar nossa raiva, frustração, nossa intolerância e todas as nossas reações emocionais em relação aos erros crassos dos outros.

E é assim que postergamos a redenção do mundo.

Por algum motivo, não conseguimos captar essa verdade vital kabalística: este mundo não se resume em estar certo ou errado. Estamos neste mundo para encontrar e arrancar as nossas próprias respostas egocêntricas, raiva, frustração e reação às circunstâncias que acontecem diante de nossos olhos.

Por quê?

Todas essas emoções são o Oponente, a força chamado Satan. Viemos a este mundo para vencê-lo. Para derrubar essa consciência reativa. Simples assim. Nós não viemos ao mundo para sermos inteligentes, corretos, sábios e brilhantes. Passamos nossas vidas inteiras na escola, ensino médio, faculdade e nos desenvolvemos intelectualmente, aprendemos ofícios, nos tornamos mais qualificados sobre a vida e nossas carreiras. Mas nós não aprendemos o sentido da vida, e é por isso que sofremos. O sentido da vida é encontrar nossa consciência negativa. Simples assim. Repita isso várias vezes. Quanto mais rápido compreendermos essa mensagem, mais rápido atingiremos a transformação do mundo e traremos uma felicidade sem fim, prazer e deleite para todos nós.

Quando estamos bem, quando nos comportamos bem em relação aos outros, quando estamos corretos em nossas situações e encontramos uma solução, não criamos escuridão, mas também não criamos Luz. Isso mesmo, o nosso comportamento positivo não cria Luz neste mundo.

A Luz somente é criada quando encontramos o nosso ego interior, nossos demônios interiores, nossas reações negativas em relação à vida. Quando encontramos essas características desagradáveis, e nos empenhamos para superá-las, ASSIM, e somente ASSIM, um raio de Luz brilha no mundo.

A força chamada Satan nos dá o direito de estar CERTO em um argumento, ao colocar os defeitos das outras pessoas – especialmente nossos amigos e inimigos – bem na nossa cara para que possamos ficar remoendo o quão certo nós estamos e o quão errado eles estão, tudo em nome de uma boa causa, da mesma forma de achar que estamos fazendo algo bom pro mundo. Mas simplesmente é uma perda de tempo. Porque nós precisamos nos concentrar apenas em olhar para dentro de nós mesmos NÃO IMPORTA A SITUAÇÃO.

Esta é a única razão pela qual ainda não trouxemos a redenção. É por isso que os 24.000 alunos de Rabbi Akiva morreram. Eles eram brilhantes estudantes de Kabbalah, verdadeiros gênios, mas eles esqueceram que a única guerra é aquela dentro de nossas cabeça.

Nada se resume em estar certo.

Nada se resume na outra pessoa.

É por isso que Rav Berg diz que a maneira de transformar nossas vidas e alcançar um estado pessoal e interno de Messiah é se tornar a causa absoluta de todo o caos que vemos.

Para sermos a causa, seja qual for, especialmente nesses momentos quando estamos certos. Se a outra pessoa está completamente errada, ainda é nossa culpa.

Não é fácil.

Mas as recompensas para este tipo de “consciência de causa” são incalculáveis.

Billy Phillips

Billy Phillips

Billy Phillips é aluno do Rav e da Karen Berg desde 1989. As opiniões expressadas aqui têm como base seu próprio aprendizado e 22 anos estudando a sabedoria da Kabbalah. Apesar de ser aluno do Kabbalah Centre, as visões e artigos que apresenta aqui se relacionam com sua experiência e refletem sua visão pessoal e não são uma representação oficial do Kabbalah Centre e de seus ensinamentos.

VOCÊ TAMBÉM IRÁ GOSTAR DESSES POSTS:

1 Response

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Imagem CAPTCHA

*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>